rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

domingo, fevereiro 19, 2017

Acabado Silva também publica as suas memórias!!!






Portuguesas & Portugueses:

Eu, Acabado Silva, sinto-me coagido, por um imperativo moral e cívico, imbuído de espírito patriótico, a prestar contas ao meu país. é que o meu sósia, esse fingidor de Boliqueime não teve a dignidade de me mencionar nas suas memórias!.
Enfim, tratou-me  como um zero, e isso não admito! 
Eu, Acabado Silva, sou de contas. Devo dizer que atacar Sócrates revelando conversas particulares é anti-ético, anti-deontológico, enfim imoral!!! Sócrates viveu na sombra do fingidor, ele pôs-lhe sempre (ou quase) a mão por baixo... e bastava tirá-la para o outro caír. Isto é da física, não é preciso ser um Newton para o perceber! Ele, fingidor de Boliqueime foi o responsável em última instância, de tudo! Mas vem, lançar o bode expiatório para o compagnon de route!
Aquela da plantação da notícia das escutas no Público também está mal contada. O mandante e o mandatário foram ingénuos. atiraram a pedra e esconderam a mão. JMF, do Público,  ficou com a batata quente na mão, sobretudo depois de Mário Crespo ter dito, na TV que o fingidor  havia conseguido um consenso nacional contra si, com a explicação dada no day after!!!

E o meu sósia foi digno de anedotário quando afirmou que os seus conselheiros o mandaram falar e nada dizer!!! Tratou o povo português como se fosse um atrasado mental!
E ele, em vez de verberar o carácter ,  a falta de honestidade intelectual e de frontalidade dos seus conselheiros seguiu à letra o conselho!!!
Depois de prometer, em plena  campanha eleitoral,  que diria tudo sobre o assunto  após as eleições, a montanha pariu um rato!!! e que ratinho, meu Deus!

Enfim  o meu sósia foi longe demais! O político mais em destaque nos últimos trinta anos, de forma hábil (esperta ou astuta...) atribuía sempre a culpa aos "políticos", como se ele não fizesse parte do rol. E saía-se bem nessa arte de fingimento. Sócrates,  se esteve tempo demais na governação, a ele o deve. De facto, a não realização de certas obras faraónicas deveu-se à massa crítica do país, à oposição e aos independentes lúcidos. O meu sósia habilmente apropriou-se disso. Enfim, falar do BES ou das acções do BPN era melindroso e expunha as suas feridas. 

Sócrates tratava-o com desdém e astúcia, se bem me lembro, ao ser apanhado ao telefone dizia mais ou menos isto:«dá-se uma rádio ao genro e o avozinho fica em casa a brincar com os netos!"

Não deram uma rádio,  mas o BES contribuiu, e de que maneira, para a dádiva do Pavilhão Atlântico! e o avozinho só dizia bem, só cantava hossanas, só tecia loas à  instituição que estava na falência e no descalabro. Fez  panegíricos  e esgrimiu argumentos favoráveis e laudatórios  (induzindo em erro tantos portugueses, os famosos "lesados do BES") até ao último suspiro do embuste!!!

Eu, Acabado Silva, sinto-me também lesado e o meu bom nome e honra  foram usados para se pavonear. Razão tinha Nuno Brederode dos Santos, que, num excepcionál artigo no Expresso, intitulado "a explicação do pássaro" põe a nu de forma magistral,  as contradições e as manhas da criatura....
Nunca se assumiu como "político", ele, era apenas e tão só,  um lúcido e clarividente "economista" que, no dizer sabujo e calculista de Luís Delgado,  era tão competente e tão sabedor que até adivinhava os ciclos económicos!!! Na prática, nunca adivinhou nada de jeito!