sábado, junho 17, 2006

Morrer na estrada...


As estradas portuguesas
São cemitérios terríveis
A vida e a morte estão presas
Por fios quase invisíveis!

Por vezes, é a imprudência,
Mal do acelerador...
A morte não tem clemência
Leva o justo e o pecador!

Ao volante há que ter calma
Não confiar só na sorte
Num instante perde a alma
Quem abraça a própria morte!

Morrer assim... faz pensar...
Há quem a morte persiga...
A morte pode matar...
A calma é melhor amiga!...

Rouxinol de Bernardim

2 comentários:

Poesia Portuguesa disse...

Tens toda a razão...A calma é melhor amiga!...


É pena que não haja mais cívismo e tolerância na estrada... é pena, evitava-se tanta coisa...

Abraço ;)

Cruzeiro disse...

A pressa sempre foi inimiga da perfeição, também assim é na condução...