rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

sexta-feira, abril 29, 2016

A SÍNDROME DA APARÊNCIA, nova doença... ou velho pecado?

Meu caro Papa Francisco:

Sei bem que tendes uma missão desmistificadora e/ou regeneradora  importante e dentro dessa faceta é de realçar a reciclagem do pecado. Sabias que na origem do pecado pode estar uma doença?
Ficai a saber que em Portugal uma doença grave ataca quase toda a gente, é uma pandemia e pode gerar delinquência, corrupção, criminalidade.
Já há muitos anos que o escritor Oliveira Martins a definiu magistralmente. É a  síndrome da aparência. enfim, olhai para este texto:

«O que tornava da Índia rico passeava na Rua Nova num estado oriental. Precediam-no dois lacaios, seguidos por um terceiro com o chapéu de plumas e fivelas de brilhantes, um quarto com o capote e, em roda da mula, preciosa de jaezes e luzidia, um quinto segurava a rédea um sexto ia ao estribo, amparando o sapato de seda, um sétimo levava a escova para afastar as moscas e varrer o pó, um oitavo a toalha de linho para limpar o suor à besta, à porta da igreja, enquanto o amo ouvia a missa. Eram ao todo oito escravos pretos, vestidos de fardas de cores, agaloadas de ouro e prata.»

Isto passou-se há meio milénio, mas a matriz ostentatória continua a exibir-se entre nós. E, pior do que isso tudo, há quem pratique crimes graves para chegar a este patamar!

Enfim, a doença é a causa desta perdição! Como curá-la?!
Primeiro denunciando-a e diagnosticando-a. Depois exigindo terapias. Medidas dissuasoras e/ou medidas repressivas.
Quantos para terem o sonho de um Ferrari novinho em folha se dedicaram ao lenocídio, ao tráfico de droga, ou à prostituição ?
Caríssimo Papa. a própria Igreja ostenta e ostentou essa moléstia. Tantas procissões não passam de um arraial hipócrita, uma exibição de fariseus desejosos de aparecer aos olhos da turba como santos, imaculadas criaturas...
..
A Índia agora já não está na moda. Agora, está o Brasil, a Suíça, até o Luxemburgo. Alguns chegam à terrinha passeando a alma em bólides espampanantes,  e querem exibir a riqueza ao lado da criadagem local ,   exalando o aroma  exibicionista do novo-riquismo A antiga mula foi substituída pelo Maserati topo de gama (ou o  Ferrari....), os escravos, pelos autarcas de serviço.
Vemos o Zé das Tretas, que emigrou para o Canadá e agora quem é? transfigurou-se e passou a ser o senhor Comendador José das Tretas, blindado na aura argentária, couraçado pela força da fortuna arrecadada a lavar dinheiro para a máfia local. Passava só uns cheques, dizia ele aos amigos...Mas o seu restaurante não tinha grande volume de negócios,  contudo, entravam e saiam milhões... fruto de negócios escuros que ele fazia entrar no circuito monetário corrente...a chamada lavagem...

As moscas continuam,  mas a trampa é sempre a mesma, passados quinhentos anos!!!

Papa,  me perdoai, mas às vezes sinto que o excesso de lucidez também é um pecado!!!




O grande mal...

A ambição desmedida é o grande mal
Ícaro se queimou por causa dela...
A rã que quis ser boi, foi-lhe fatal...
É melhor ver o sol... só da janela! josé m f l sá