rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

quinta-feira, outubro 31, 2013

Roliças cantai, cantai!




Mulher magra está na moda
Chuta pra canto as roliças
O preconceito incomoda
Discriminações postiças...
Obesas mentes, nem mais,
Críticas disparatadas
Inestéticos sinais
De gentes destrambelhadas!
Na garganta nasce o canto
Só o som é que é julgado
O olhar, não é, portanto,
O juiz mais indicado!
Roliças cantai, cantai,
E que a voz nunca vos doa,
A tolice tem um pai:
ASNO... que zurra!, e atordoa
J. Leite de Sá
Nota: Chamaram «roliça» à excepcional cantora lírica italiana Daniella Dessi, em tom pejorativo. Ora, quem canta deve ser avaliado pela estética da voz e não pela estética corporal. Pavaroti nunca foi invetivado por ser roliço..
Daí este naco de poesia em louvor das roliças... belas e sempre dignas do nosso olhar atento.
Homem que é homem não se detém nesses detalhes. Só quem não tem imaginação prefere as belas...
Esta frase não é minha, confesso-o, mas não recordo

o autor...

PS: «Deixo as mulheres bonitas aos homens sem criatividade»
Ruben Fonseca