rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

terça-feira, outubro 08, 2013

Sugestão ao governo

O país não pode virar as costas à sua massa cinzenta, aos crâneos, aos cérebros iluminados que fazem a diferença. Deixar fugir cérebros foi um mal terrível que desde os ominosos tempos do regime monárquico (com a expulsão dos judeus...) deixou marcas indeléveis na alma do País.
Deve-se acarinhar os génios, as sumidades, os verdadeiros homens do saber. Enfim, não falo dos artistas do pontapé na bola que temos exportado aos montões, falo sim, de criaturas fora do comum que já nos brindaram com o seu know how, a sua idissincrasia sui generis e deixaram marcas. Marcas inesquecíveis nos trajetos que percorreram.

Um deles, é pena não aproveitar as suas potencialidades para o governo. Sim, este governo não é extenso. Falta uma pasta. Talvez aquela com maior potencial, aquela que poderá aumentar substancialmente as receitas de que precisamos como de pão para a boca.

Refiro-me a um setor bem conhecido e que representa cerca de um quarto do PIB: a economia paralela!!!

Sim, esse submundo onde o dinheiro gira sem parar, no jogo clandestino, na droga, na prostituição, no mercado de armas, no tráfico de influências,enfim, em tudo o que fica à margem da legalidade, fora do olhar atento do fisco. Se esse nicho de mercado passasse a pagar impostos, se se conseguisse motivar toda essa gente para os benefícios, as virtudes da legalidade, então a economia real  cresceria enormemente, as receitas subiriam, o Estado deixaria de ir buscar às pobres viuvas as suas miseráveis pensões, deixaria de cortar ainda mais aos desempregados, as despesas nos hospitais poderiam ser minoradas pois o Estado, recebendo grossos pecúlios da reconversão (isto é como uma religião...), deixaria de ser preciso onerar tanto a grande maioria da população. Ou seja: fazendo aderir à economia real os crentes na economia paralela (enfim, deixariam de ser «pagãos» e passarim a ser «fiéis» da economia real...),  um novo universo se abriria. A economia subterranea, essa filha de satã, essa odiosa geradora de injustiças e de novoriquismos  ilícitos, ficaria reduzida ao mínimo e um grosso caudal de novos crentes, de convertidos à economia real, passaria a mostrar o quão salutar era para toda a comunidade a reconversão.

Religião e economia de braço dado__ o Papa Francisco já deu o lamiré condenando todos os liberalismos que estão na génese da grande injustiça social que grassa e marca de forma indelével o nosso tempo__ seriam então uma alavanca progressista e regeneradora capaz de fazer eclodir uma economia real mais sólida, mais justa, menos penalizadora para os economicamente débeis...

Assim, adentro desta filosofia regeneradora, por que não convidar para ministro da economia paralela o Doutor Luís Filipe Menezes?!!!

O mundo inteiro agradeceria e aplaudiria de braços abertos. Quem sabe se  se a sua acção frutificasse, sendo Portugal um país piloto nesta nova realidade, talvez o Nobel da economia lhe caísse nos braços como corolário lógico da sua acção altruista, regeneradora, missionária?!

É este repto que lanço daqui, deste modesto blogue, ao Clube dos Pensadores__ esse areópago notável, um alfobre de missionários da causa social__, ao Parlamento, ao Governo, e até à ONU, onde alguém poderá aproveitar a ideia e difundi-la urbi et orbi... 

Enfim uma NOVA ESPERANÇA para a humanidade...

Que Deus, na Sua infinita sabedoria, inocule nos espíritos esta teoria inovadora capaz de curar os males da humanidade, vergada ao peso de ultraliberalismos geradores de ignomínias  e iniquidades sem conta!