rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

quinta-feira, janeiro 26, 2012

NOTÍCIA IMPROVÁVEL...ACTO DE CONTRIÇÃO!

Ele foi à televisão e dispôs-se a falar aos portugueses. Já há muito que não o fazia. A crise era profunda e todos se queixavam das políticas restritivas que conduziam à recessão, à miséria, ao pauperismo coletivo. Ele sentia-se perturbado, ele, o «provedor do povo» como se vangloriava nos seus discursos gongóricos, discursos cheios de nada, onde a jactância e a presunção supriam a falta de objetividade e clareza, sentia-se humilhado pelo estado a que o país chegara.
Os credores internacionais recusavam o perdão de parte da dívida, os submarinos já tinham ido para a China a troco de um prato de lentilhas, o 13º e 14º mês tinham sido extintos. O cinto não podia apertar mais. Otelo, na sombra, ia dizendo que o limite ainda não tinha sido atingido... mas toda a gente suspirava que ele desse o golpe de misericórdia ao regime. Regime corrupto, regime putrefato, regime ominoso.

Então, num assomo de coragem e de dignidade, ele foi à TV. E falou assim:

Portugueses,
Sei que só um cretino ou um pedante é que dirá que nunca se engana ou não comete erros. Eu não sou assim. Eu errei e quero penitenciar-me perante vós.
Neste momentio de grave crise, onde a fome impera e deixa marcas em todos os segmentos da sociedade, onde vemos professores a assaltarem bancos e médicos a roubarem supermercados, advogados a matarem clientes, economistas a assaltarem hospitais e misericórdias, onde a necessidade aguça todos os engenhos, eu, humildemente, confesso que não agi bem. Como economista, consciente e bem formado, nunca deveria ter aceitado aquela dádiva do presidente do BPN. Sim, estando o banco em crise profunda, não era racional nem economicamente correto pagar as acções da SLN ao preço a que ele mas pagou. Aquilo foi demais. Diz o nosso povo, com carradas de razão, «quando a esmola é grande o pobre desconfia». Eu devia ter desconfiado. Mas nada fiz para rejeitar aquele bodo envenenado e cheio de subreptícias intenções.
Por isso, caros amigos, chegou a hora de devolver aquelas mais valias com cheiro pestilento a favor ou coisa similar. Não quero mordomias que me pesem na consciência. Não quero fardos morais, numa altura em que o fardo da crise pesa, e de que maneira, sobre todos os portugueses.
Por isso entreguei ao senhor cardial patriarca aquelas mais valias a fim de serem distribuídas pelos mais carenciados.
E faço mais: apelo a todos aqueles que tiveram lucros chorudos com os negócios aberrantes daquela instituição, que façam o mesmo que eu. É nestas horas que se vêem os amigos, é nestas ocasiões que se vê o amor à pátria, é nestes momentos difíceis que se vê quem tem coração.
Os verdadeiros estadistas medem-se por estes gestos simples mas carregados de significado patriótico.
Nota final: No seu túmulo Camões escreveu um soneto elogiando este gesto nobre e sublime. Também Saramago, escreveu um novo Ensaio sobre a Cegueira. Camilo, rasgou «A queda de um anjo» e escreveu, lá no túmulo, «A ressurreição de um anjo»...

P.S.: Qualquer semelhança com a realidade será mera coincidência. Isto é uma falsidade completa.Enfim, num momento de loucura todos temos o direito de errar. Errare humanum est!

7 Comments:

Blogger Pena said...

Notável e Extraordinário Amigo:
Um texto divinal. Tem carácter político com aquela grandiosidade irónica merecida.
O sarcasmo perfeito da classe dominante e no poder.
Enfim, é genial, talentoso e admirável.
Escreveu ou pesquisou com aquela magia que só você faz de imensa preciosidade e gigantesco espanto, repleto de veracidade e autenticidade. De verdade.
Excelente, fabuloso e enorme amigo.
Abraço de respeito ao seu ser grandioso e sublime em tudo o que faz e faz bem. De significação apuradissíma.
Sempre a admirá-lo no que concebe de deslumbrar.
Agradecido pela fantástica visita expressa com pureza e maravilha no meu blog de forma genial e eu adorei.
Já tinha saudades da sua magia, talento e génio e preciosismo, acredite?

pena

É perfeito no que constrói.
Bem-Haja, amigo.

1:31 AM  
Blogger Cisfranco said...

Simplesmente fantástico!
É sempre um prazer visitar o seu blog.

2:28 AM  
Blogger Yasmine Lemos said...

Texto reflexivo e muito bem escrito.Obrigada pela visita
abçs!

7:10 AM  
Blogger Palavras said...

Muito bom!
Texto muito bem elaborado.

Abraços

2:52 PM  
Blogger lis said...

Gosto de vir ler seus textos com viéz irónico rs
tempos superáveis, eu quero crer ... rs
abraços Bernardim

3:40 PM  
Blogger Daniel Costa said...

Rouxinol de Bernandim

A verdade, no caso, ultrapassará a ficção da interessante e judiciosa cronica.
Um abtaço

6:28 PM  
Blogger Zé Povinho said...

A fotografia também saiu enganada...
Muito bom o texto.
Abraço do Zé

12:06 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home