rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

terça-feira, novembro 15, 2011

Ovo de Colombo?! Talvez!

Ler AQUI... no PÚBLICO



António José Seguro propõe um aumento de emissão de moeda pelo BCE a fim de estimular a economia. Ora sabemos que emitir moeda só por si, só gera inflação. Contudo, dados os condicionalismos e constrangimentos actuais, com fugas macissas de capitais para paraísos fiscais (aquilo a que se chamava entesouramento : meter dinheiro no colchão...) pode justificar até certo ponto (desde que haja supervisão adequada) esta medida.
Muitas variaveis estão em jogo, muitos parâmetros estão em equação, a própria economia paralela, pela sua dimensão, pode legitimar este comportamento. Mas racionalizado e com supervisão atenta, sublinhe-se.
Crescimento económico precisa-se, apesar dos efeitos inflacionistas nefastos que advirão daquela medida, António José Seguro pode estar no trilho correto, pode estar na senda da recuperação.

Mas de nada adianta injetar dinheiro na economia real se ele fugir outra vez pelas mesmas vias (corrupção, evasão fiscal) e for parasitar nos paraísos fiscais. Há que calafetar o «barco» controlando os custos estatais, combatendo a economia paralela e a corrupção galopante que continua a fazer novos ricos do pé para a mão! E... pior ainda, criando um enorme caudal de novos pobres...

3 Comments:

Blogger Rosa dos Ventos said...

Se ele o sugere talvez tenha sido bem aconselhado desta vez!

12:30 AM  
Blogger Teresa Durães said...

olá!
Tenho um convite no meu blog!

12:30 AM  
Blogger Cisfranco said...

Quanto à economia paralela e à fuga aos impostos, eu ainda não percebi (mas quem sou?!) por que não arranjam uma maneira, para que, os recibos de tudo o que se consumiu durante o ano, contem de alguma maneira, até um determinado montante (seja lá isso como for)em sede de IRS, i.e., que façam baixar o montante do IRS a pagar. Não é só dizerem que se deve pedir recibo para não haver fuga aos impostos. Mas para quê se isso não serve de nada a quem paga? Só para arranjar problemas com o vendedor de bens/serviços?
Não sei, serei eu que estou a ver mal o filme, que nunca ouvi ninguém falar nisto...

9:06 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home