rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

terça-feira, janeiro 24, 2017

IRONIAS DE JANUS





O país anda atónito. O povo estupefacto. A estranja olha para nós com um misto de indignação e de comiseração...
E o caso não é para menos.
Então não querem saber que se descobriu um novo surto de terrorismo, tendo  origem cá em Portugal?
Ameaça alastrar e gerar efeitos pandémicos. Há que travar já o flagelo, como se fosse uma peste negra.
Este afloramento tem contornos sui generis: é o terrorismo justicialista, aliado ao terrorismo jornalístico! Aquele dá o mote, este, amplia-o, dá-lhe contornos catastrofistas, virais, infernais!
Uns juízes cinzentões, estilo manga de alpaca, funcionários públicos sem alma, atrevem-se a enxovalhar banqueiros e políticos com insinuações absurdas e concatenações diabólicas, só por inveja, por ódio.
Nada de concreto, nada de substancial, apenas fazem umas extrapolações, umas conexões maldosas, para extrairem conclusões apocalíticas que ferem a honra e bom nome de pessoas de bem, que se dedicaram à causa pública de alma e coração. Imagine-se que até.
 a generosidade (excessiva, segundo os tacanhos juizes) é contestada em moldes completamente iníquos! Ajudar mulheres carentes onde foi crime?!Cristo não ajudou Maria Madalena, perante a ira dos fariseus? Passa-se agora o mesmo cenário! Ipsis verbis!
Pessoas honestas, com carradas de honra,  prenhes de  bom nome, veneráveis e venerandas,  a serem postas em xeque por ignóbeis criaturas cuja imaginação delirante as perturba e dá azo a insanidades sem conta. Os jornais (alguns, entenda-se) parecem cães de fila, farejando rastos e pistas lançadas pelos imprudentes  juizes. Outros, não, pois são superiormente liderados por pessoas de bem, com respeito, autênticos generais prussianos que nunca se amotinam por mais trapalhadas que surjam no horizonte.  Estes sim,  são fiéis, os outros, infiéis,  no limiar da mais ominosa criminalidade. Patológicas criaturas ombreando com os seus mentores, os juizes! Dá que pensar! A inveja é a mãe de todos os vícios!
Que fazer? Perante este cenário dantesco e   podendo estar  em causa a saúde mental da população, __as instituições ameaçam colapsar, o próprio regime, poderá (como aconteceu com o Estado Novo) entrar em implosão,__ há que tomar medidas enérgicas sem medos nem tibiezas! é uma calamidade pública!
A questão é gravissima!  com a saúde pública não se brinca. A saúde mental da população começa a estar em jogo. Há que tomar medias. Pôr em tratamento psiquiátrico esses juizes e esses jornalistas que são vítimas de esquizofrenia aguda  e, isso sim, são uma ameaça para a estabilidade, são fonte permanente de crispação. O PR já alertou para isso...A crispação é fonte de instabilidade, causa danos colaterais, inibe o investimento estrangeiro, agita os mercados financeiros...

Homens bons, que patrocinaram com rios de dinheiro o futebol, essa religião sacrossanta que anima o povo, que prendaram escritores de bem, com respeito, muito respeito ao poder e às instituições, são agora, vilipendiados, enxofrados de forma vil, com uma devassa insana ao seu modus actuandi em prol de engenharias financeiras modernas  onde a generosidade sem fronteiras impera.  
A inveja, essa erva daninha precisa de ser erradicada, já, antes que alastre a outras profissões. O ódio, um ódio visceral ao que é moderno e ao que é sofisticado, manifesta-se nesses indivíduos que visam única e exclusivamente o terror para intimidar, paralisar. Mas jamais cederemos ao terror, jamais capitularemos perante o ódio, nem nos deixaremos abater por tais criaturas sem alma, sem carisma, uns cinzentões armados em estrelas refulgentes. Só conseguem fama__ essa ambição desmedida é norteada pelo desejo  insano de serem famosos, já se vê.__ .à custa do ataque miserável a pessoas de bem, gente com passado, que fez coisas. Que fizeram eles até agora? Nada, de nada, só mexem e remexem em papeis, em computadores, em telefones e gravadores. Nunca fizeram estradas, nem pontes, nem piscinas, nem campos de futebol. Uns parasitas, uns invejosos num estado demencial. a precisarem de tratamento e internamento urgente.!!!
Contudo, o povo é fixe, é sereno, o  povo não se deixará contaminar. Já deu a sua decisão: juizes e jornalistas para otratamento psiquiátrico
Banqueiros e políticos, que sejam condecorados, louvados em estátuas e livros, muitos livros, onde o seu carisma e o seu fulgor mediático sejam enaltecidos e que o povo os guarde para sempre no esplendor da sua  eterna gratidão!

R. de Barros
Nota: para ler com óculos de ironia...