rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

sexta-feira, março 30, 2012

Ai se eu te pego!

E peguei mesmo!!! Mas já foi há uns tempinhos... Ai se eu te pego!

quinta-feira, março 29, 2012

Irresistível Paixão!

domingo, março 25, 2012

A mulher de césar... sempre omnipresente!















O professor António Borges foi escolhido pelo primeiro ministro para supervisionar o processo de privatizações em curso. Fê-lo no pressuposto de idoneidade, competência, escrúpulo e de bom senso que à partida seriam inquestionáveis. No entanto, a recente aceitação de um convite feito por Soares dos Santos para trabalhar em simultâneo, no seu universo empresarial__ apesar de ter merecido o beneplácito do primeiro ministro__ deixa muito a desejar no tocante a eventuais conflitos de interesse que poderão advir no futuro.

Defender os interesses do Estado por um lado, e o interesse de alguns eventuais interessados nas privatizações__ é sabido que Soares dos Santos lidera um conglomerado de interesses empresariais multidiversificados__não augura nada de bom para o futuro.

O país a ser chicoteado pelas agências de rating de forma despudorada, as acções a níveis altamente deficitários, num contexto miserabilista, é sabido que o país poderá ser vítima dessa situação. Impunha-se alguém completamente liberto de amarras privadas, alguém exclusivamente dedicado a esta hercúlea tarefa a fim de garantir um mínimo de credibilidade.

Destarte, o professor António Borges, ao aceitar trabalhar em simultâneo para duas entidades com interesses oponíveis, poderá ser vítima das circunstâncias. Não está em causa a sua seriedade e competência, está, isso sim, a eventual falta de liberdade de ação e limitações constrangedoras para quem deve atenção a dois «senhores: o Estado e a iniciativa privada.

À mulher de César exige-se sempre que além de o ser também o pareça...

domingo, março 18, 2012

Professora suicida-se. A filha interroga-se...

No blogue do escritor Manuel Poppe deparei com esta história bem triste. Uma professora suicida-se devido às agruras da profissão. A filha escreve uma carta e interroga-se sobre o clima envolvente, a escola que estamos a criar e os monstros que vão proliferando ali...
Já não é o primeiro caso de suicídio. Os professores e a sociedade em geral deviam aprofundar esta situação lamentável.



sexta-feira, março 16, 2012

O padre José Luís Rodrigues fala da mentira...



No seu blogue Banquete da Palavra (VER AQUI) o padre José Rodrigues, da Madeira, fala sobre o império da mentira na nossa sociedade. Ela está em toda a parte. A sociedade vive mergulhada nela. Quem é capaz de negar esta realidade?!
Falar verdade é cada vez mais penoso, dá idas ao tribunal, dá perseguições, dá prejuízos enormes. Mentir dá lucros, evita impostos, evita multas, às vezes ... até dá votos!!!

Admiro-me porque é que alguns políticos, sempre a erguer estátuas a isto e àquilo, ainda não mandaram construír uma estátua a esta entidade... para alguns era uma questão de gratidão!!!

A mulher de César... sempre, mais uma vez. Agora é o congresso dos magistrados do M. P.



Quem não quer ser lobo não lhe veste a pele. A justiça, para ser séria, deve ao menos parecê-lo.
O recurso a financiadores pouco ortodoxos dá uma péssima imagem do M.P. Veja-se aqui todo o estendal de situações, caricatas situações, que poderão advir...
Por vezes, na génese da corrupção, pode estar um congresso... um inocente congresso...




quarta-feira, março 14, 2012

Portugal na rota da Grécia, diz Papandreou

Se alguém ainda tivesse duvidas, elas dissipar-se-iam ao ler este sensato comentário, de quem foi vítima do neoliberalismo que impera e corroi a estrutura da União Europeia.

Portugal continuará a afundar-se, por mais esforços que os portugueses façam, por mais austeridade que se vá impondo. A U.E. e a sua estrutura neoliberal é a causa mortis...

Sem renegociação (ou perdão parcial...) da nossa dívida não iremos lá e a culpa é da própria estrutura neoliberal, dos alicerces especulativos que estão na base da sua arquitetura política e administrativa.

Ninguém se iluda. Se o nariz de Sócrates crescia quando dizia com ênfase : «Nós não precisamos do FMI!», bem sabendo que o que estava a dizer era uma piedosa mentira para acalmar os mercados, também o nariz de Passos Coelho se dilata quando afirma com não menor ênfase:«Nós não precisamos nem de mais tempo nem de mais resgates, vamos conseguir atingir as metas já este ano!»

Ambos, na sua genuína hipocrisia, fartinhos de saber que o que dizem não tem a mínima hipótese de ser verdade, mas usando a ilusão com a mestria de um Luís de Matos...

ESTE NÃO SE ENGANA! O futuro dar-lhe-á razão, mais tarde ou mais cedo, que ninguém tenha ilusões!

Feminina...



UTA MELLE, uma alemã de quarenta anos viu serem-lhe amputados ambos os seios por força de um cancro. Mas, com um sorriso vestido de alegria e vaidade, exibe o corpo, sem receio de lhe chamarem obscena, ou exibicionista. Sente-se livre, apaixonada pela vida, exibe um sorriso triunfal e procura transmitir otimismo a todos os que se vão desgastando no combate ao inimigo silencioso...


Um exemplo de coragem, de dignidade, de respeito. Linda e bela, apesar do precalço...

quinta-feira, março 08, 2012

A justiça cheira... a esturro!







Até no Supremo Tribunal de Justiça!!!

Gosto de escrever justiça com maiúscula. Mas ao ler esta notícia, VER AQUI, começo a repensar a minha abordagem. No STJ, um administrador acusado de tantos crimes, invocando tantos nomes sonantes para lhe darem cobertura, e estes negando ou afirmando não se recordarem...

Triste espetáculo de um país em declínio moral e cívico, um regime já no estertor da agonia...

Valha-nos Deus!

Outros tempos, outras eras...



Vendia-se no bar do aeroporto de Nampula (Moçambique) a quarenta escudos, esta cerveja com uma grande travessa de camarões grelhados! Cerveja laurentina!






QUARENTA PAUS!!! Alguém se lembra?!

sábado, março 03, 2012

Deus criou a Mulher...



Mas foi o homem que escreveu o livro de instruções...

sexta-feira, março 02, 2012

Os «mutantes»...em Portugal

Em Portugal há uma espécie de «mutantes» que estão constantemente a mudar de posição e continuam a afirmar-se íntegros e verticais. Vejam-se as posições deles no ante e no pós-eleições!
Têm todos uma apetència invulgar para o crescimento dos narizes.
Quando estavam na oposição apontavam o dedo e vociferavam: «Vejam, que pouca vergonha, não fazem concursos públicos em empreitadas de valores astronómicos. Que escandaleira

Mal chegam ao poder fazem ipsis verbis o que os seus antecessores fizeram.
Chegou ao ponto de o próprio bastonário da ordem dos advogados apontar o dedo à ferida. Afirma alto e bom som que a hipótese de cambão é altamente plausível na adjudicação de fornecimento de pareceres jurídicos a sociedades de advogados, por parte do actual governo. O montante é de milhões e o concurso público não se faz.
Antes, na oposição, era o diabo. agora, no poder, fazem o mesmo!!!

Pobre país com tais criaturas ao leme. Cavaco era a favor da regionalização mas quando se apanhou no poder abandonou-a como se lança borda fora uma coisa incómoda.

Quando olho para o discurso dos políticos (quase todos) é só verticalidade, coerência, respeito, inflexibilidade de principios. Quando analiso a prática é só ziguezagues, sinuosidades, patetices de todo o cariz. Não passam de canas agitadas pelo vento do oportunismo!

Há que fazer uma reforma estrutural a sério nas empreitadas e fornecimentos. Quem não fizer concurso público quando a isso for obrigado, rua, perde o mandato!
As excepções não podem ser regra. Há que criar uma entidade de supervisão que tutele essas excepções. Que não se possam pagar empreitadas pelo dobro ou triplo da adjudicação. O país precisa de contenção, de austeridade a todos os níveis.

O supremo magistrado da nação falava há tempos na falta de supervisão como causa principal dos abusos na banca e nas empresas públicas ultraendividadas.

Que fez ele quando era governante, no seu segundo mandato? Chamava «forças de bloqueio às entidades de supervisão: Tribunal de Contas e Provedoria de Justiça.

Frei Tomás está em Belém? Ele está em toda a parte, é omnipresente!
Não tenho partido mas tenho de tomar partido pelos indignados, pelos cidadãos que pagam por tabela as habilidosas mutações destes políticos de meia tigela, sem sentido de Estado que se pavoneiam aqui e ali sempre com discurso imaculado mas mais sujos que pau de galinheiro!
Ouvi-los é conversa mole para boi dormir!