rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

quinta-feira, janeiro 26, 2012

NOTÍCIA IMPROVÁVEL...ACTO DE CONTRIÇÃO!

Ele foi à televisão e dispôs-se a falar aos portugueses. Já há muito que não o fazia. A crise era profunda e todos se queixavam das políticas restritivas que conduziam à recessão, à miséria, ao pauperismo coletivo. Ele sentia-se perturbado, ele, o «provedor do povo» como se vangloriava nos seus discursos gongóricos, discursos cheios de nada, onde a jactância e a presunção supriam a falta de objetividade e clareza, sentia-se humilhado pelo estado a que o país chegara.
Os credores internacionais recusavam o perdão de parte da dívida, os submarinos já tinham ido para a China a troco de um prato de lentilhas, o 13º e 14º mês tinham sido extintos. O cinto não podia apertar mais. Otelo, na sombra, ia dizendo que o limite ainda não tinha sido atingido... mas toda a gente suspirava que ele desse o golpe de misericórdia ao regime. Regime corrupto, regime putrefato, regime ominoso.

Então, num assomo de coragem e de dignidade, ele foi à TV. E falou assim:

Portugueses,
Sei que só um cretino ou um pedante é que dirá que nunca se engana ou não comete erros. Eu não sou assim. Eu errei e quero penitenciar-me perante vós.
Neste momentio de grave crise, onde a fome impera e deixa marcas em todos os segmentos da sociedade, onde vemos professores a assaltarem bancos e médicos a roubarem supermercados, advogados a matarem clientes, economistas a assaltarem hospitais e misericórdias, onde a necessidade aguça todos os engenhos, eu, humildemente, confesso que não agi bem. Como economista, consciente e bem formado, nunca deveria ter aceitado aquela dádiva do presidente do BPN. Sim, estando o banco em crise profunda, não era racional nem economicamente correto pagar as acções da SLN ao preço a que ele mas pagou. Aquilo foi demais. Diz o nosso povo, com carradas de razão, «quando a esmola é grande o pobre desconfia». Eu devia ter desconfiado. Mas nada fiz para rejeitar aquele bodo envenenado e cheio de subreptícias intenções.
Por isso, caros amigos, chegou a hora de devolver aquelas mais valias com cheiro pestilento a favor ou coisa similar. Não quero mordomias que me pesem na consciência. Não quero fardos morais, numa altura em que o fardo da crise pesa, e de que maneira, sobre todos os portugueses.
Por isso entreguei ao senhor cardial patriarca aquelas mais valias a fim de serem distribuídas pelos mais carenciados.
E faço mais: apelo a todos aqueles que tiveram lucros chorudos com os negócios aberrantes daquela instituição, que façam o mesmo que eu. É nestas horas que se vêem os amigos, é nestas ocasiões que se vê o amor à pátria, é nestes momentos difíceis que se vê quem tem coração.
Os verdadeiros estadistas medem-se por estes gestos simples mas carregados de significado patriótico.
Nota final: No seu túmulo Camões escreveu um soneto elogiando este gesto nobre e sublime. Também Saramago, escreveu um novo Ensaio sobre a Cegueira. Camilo, rasgou «A queda de um anjo» e escreveu, lá no túmulo, «A ressurreição de um anjo»...

P.S.: Qualquer semelhança com a realidade será mera coincidência. Isto é uma falsidade completa.Enfim, num momento de loucura todos temos o direito de errar. Errare humanum est!

quarta-feira, janeiro 25, 2012

«Os pobres de espírito...»



Vale a pena ler o blogue Banquete da Palavra.

É um padre atento e não submisso ao stablishment.É um padre que faz da cidadania um prolongamento da evangelização. Não, não é como alguns que se refugiam no vácuo, no gongorismo balofo, na doce mas hipócrita abstração...

É um padre atento ao quotidiano de tantos portugueses que sofrem a grande injustiça social que se abateu sobre uma nação vampirizada por meia dúzia de sanguessugas capitaneados por gente sem alma, sem escrúpulos, sem pudor...

Enfim, o Portugal de hoje é uma OBSCENIDADE...

É um padre que o diz. Que o sente. Que não silencia, pois sabe que o pior pecado é o da omissão.

Não, não aparece na TV, não é paraninfado por eminências pardas que gravitam à volta do poder venal. É um puro. Tal como há juízes dignos de respeito e até veneração, também há padres assim. Excepções, honrosas assinale-se, à vergonhosa regra...
Tiro o meu chapéu ao padre José Luís Rodrigues. Bem haja!

domingo, janeiro 22, 2012

O perigo de contágio!

A situação grega continua a ser foco de atenções e de preocupações. O perigo de contágio a toda a zona euro é óbvio, sobretudo aos países do sul, onde se inclui Portugal. O perdão de parte substancial da dívida grega (cujo valor exato ainda está por decidir...) poderá diminuír o impacto sobre as restantes economias. A contaminação __ tal como se se tratasse de uma pandemia...__ é um fato deveras preocupante. O barco europeu mete água e ameaça afundar-se. O próprio comandante (Durão Barroso) já sente que Sarkozy e Merkel, uma espécie de imediatos autoproclamados, lhe estão a tirar o tapete...
É que a Grécia está para a união europeia como a Madeira está para o continente...

sexta-feira, janeiro 20, 2012

Agencias de rating: uma opinião sensata...

O nobel da economia Joseph Stiglitz entende que as agencias de rating estão a tentar apagar a imagem irresponsável dada aquando do despoletar da crise, não tendo tomado as decisões mais sensatas por motivos de ganancia. Agora estáo a tentar corrivir o erro mas caindo numa estratégia que dá lucro aos mercados especulativos: ou seja uma nova face da mesma moeda...
Será, não será? Esta opinião vai ter muitos seguidores pois é partilhada por muita gente competente e bem colocada. Se for verdadeira esta teoria, como corrigir esta artificial distorção?!

Em Itália já andam a investigar este submundo para apurar quem ganha e quem distorce a realidade com fins meramente especulativos...VER AQUI...

quinta-feira, janeiro 19, 2012

GRATIDÃO: Verdades & ficções...

Às vezes pergunto a mim próprio se a gratidão pode ser uma antecâmara da corrupção. Se o ser grato e defender um amigo a quem se devem favores, mesmo sabendo que ele é um traste, não será uma forma de o afundar ainda mais. Ser grato tem limites.
Conheci há muitos anos um empreiteiro que me contou o seguinte:
« Estive o mês passado na Suíça e comprei três relógios de ouro, para oferecer a tres amigos. É uma oferta que funciona como gratidão e como investimento.»

Com cuidado fui desfiando o fio à meada e ele foi-se abrindo. Um era para o presidente da câmara local a quem devia favores e esperava continuar a ter nos seus negócios. Outro era para o juíz presidente do círculo judicial onde ele exercia as funções de perito na sua actividade específica.
O terceiro era para o chefe da repartição de finanças da sua localidade a quem também devia favores...

Já não pertence ao mundo dos vivos esta criatura. Mas a estória assenta que nem uma luva a muitos «agraciadores de pacotilha»invocando a gratidão para fazerem tudo e algo mais...
Gratidão sim, mas dentro da decência e do escrúpulo. Eu, se tiver um amigo que comete graves delitos, infamentes e vergonhosos, afasto-me dele, faço-lhe sentir a minha repugnância pelos seus actos. Não lhe digo:« estou e estarei sempre ao teu lado pelos favores que me fizeste, sou grato, imensamente grato».

Esta gratidão prova falta de isenção e de carácter, de rigor, de credibilidade. Um indivíduo destes não pode ser juíz, não pode ser um árbitro... não passa de um pulha igual ou pior que o amigo que defende com unhas e dentes... Não pode ser um perito avaliador. Falta-lhe ética, escrúpulo. Sobra-lhe em gratidão o que lhe falta em dignidade!

sexta-feira, janeiro 13, 2012

Portugal rumo ao sucesso!









«Querida, o mal de Portugal é que no seio da democracia está implantado o silicone da corrupção!»
















Em desespero de causa o ministro Álvaro Pereira interroga-se sobre as possibilidades de exportarmos o pastel de nata! VER AQUI... e sorrir!




Nós, que exportamos jogadores de futebol, treinadores que fazem sucesso em todo o mundo, por que não o pastel de nata?


A ideia está lançada, mãos à obra. Cada português saiba ser um digno embaixador desta referência nacional. Sócrates levava o Magalhães debaixo do braço e fez um sucesso enorme. Por que não pormos Cavaco a transportar pastéis de nata para o exterior? Será que tem medo ou vergonha que lhe chamem caixeiro viajante como sucedeu com Sócrates?


Vergonha é (devia ser...) de roubar, de desviar fundos, de gastar em futilidades os dinheiros públicos... Há que ser realista! Pasteis de nata já em todo o mundo, para prestigiar Portugal!


E a reboque dos pastéis de nata irão os vinhos tão deliciosos, as cortiças, os granitos, as cervejas, os fados, os livros, as guitarras....




Se não for assim, só nos resta continuar a vender uma coisa que temos em abundância e que teremos cada vez mais: a dívida!

quarta-feira, janeiro 11, 2012

O «querido líder»... obsessão chamada Lisboa!!!








A culpa morre solteira?!



Dizem alguns, bem à toa...




Não é assim lá na Madeira




Onde a culpa é... de Lisboa!!!



SEMPRE...



COMO AQUI...

domingo, janeiro 08, 2012



sábado, janeiro 07, 2012

Buracos de Portugal!



domingo, janeiro 01, 2012

MODA VS CANCRO...



Os ditos civilizados, diz aqui estão a ser vítimas de cancro por injetarem silicone nas mamas. Ainda bem que a moda ainda cá não chegou! Cruzes, canhoto, estes civilizados são muito piores que nós!...





As notícias são alarmantes. VER AQUI!



A moda está a gerar uma corrida aos implantes mamários, contudo, sabe-se agora, há casos graves de cancro e várias ruturas do silicone provocando danos bastante acentuados.


Será que a civilização obriga a esta escravidão da moda?


Cada vez há que ter maior preocupação com a saúde pois a estética, à outrance, pode levar à morte...