rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

sábado, maio 12, 2007

O FIM


HÁ SEMPRE UM PÔR-DO-SOL PARA TUDO...

domingo, maio 06, 2007

AMOR DE MÃE, AMOR PRÉ-DIVINAL!...





Ser Mãe é ter que enfrentar
As ondas mais alterosas,
As procelas deste mar;
Ser Mãe, não é mar de rosas...
É ensinar a voar,
É cumprir com devoção
Um mandamento de amor,
É nunca desesperar
Quando chegar a provação
Ser forte, mesmo na dor!...



Ser Mãe, pátria também é!
É cumprir um nobre fado,
É escrever a História, até;
É ritual tão sagrado
Que o mundo tem assistido
A cenas galvanizantes,
Em que o amor maternal
É tão vivo, tão sentido,
Faz-nos pensar, por instantes,
No amor... pré-divinal!

rouxinol de Bernardim

Se...


Se...
Entendes que a liberdade também tem limites...
Consideras o poder um instrumento para satisfação de necessidades colectivas, e não, com às vezes se constata, mero trampolim para satisfazer ambições pessoais ou de grupo...
Medes o sucesso como corolário de um serviço e não como somatório de bens arrecadados...
Cultivas a humildade como a flor mais preciosa no jardim das virtudes.
Respeitas o adversário e lhe dás oportunidade de usar os mesmos meios de que dispões, não abusando deles para te impores...
Não exibes, com estulta ostentação, os teus feitos, esperando que sejam outros a fazê-lo...
Não te pões em bicos de pés para sobressaír, aguardando simplesmente que o tempo e a força da razão o façam.
Dás a César o que é de César e a Deus o que é de Deus...
Não procuras tapar o sol da evidência com a peneira da mentira ou da meia-verdade...
Não usas roupagens ricas para camuflar a pobreza de espírito...
Julgas que não é só pela aragem que se vê o carácter de quem vai na carruagem...
Consegues vislumbrar por detrás de um hábito pomposo, um monge cheio de mentiras...
Sabes ser perseverante, mesmo na adversidade, até ao triunfo da tua verdade.
Não andas na praça pública a exibir feitos, na maior parte das vezes, executados por outrem...
ENTÃO,
Respiras o ar puro de Abril, do verdadeiro Abril, o tal que ainda está para chegar a algumas terras. És um precursor, na verdadeira acepção da palavra.
Quando outros enchem a boca de Abril, constatamos que são, pela sua praxis, pelo seu modus operandi, filhos do vetusto 28 de Maio...
Vós, que pensais da mesma forma que eu, conservai, ao longo da vida, a pureza de um ideal que, mais tarde ou mais cedo, há-de surgir ...
rouxinol de Bernardim

quarta-feira, maio 02, 2007

VILA DO CONDE MENINA, VILA DO CONDE PRINCESA!


VILA DO CONDE-MENINA, VILA DO CONDE-PRINCESA!
A BALADA DO VENTO NORTE
Vila do Conde-menina,
Princesa dada à cultura,
O sucesso é tua sina
No teu olhar já fulgura
Essa flor da liberdade,
Flor tão bela, flor tão pura,
Neste jardim da cidade,
De tão garbosa postura,
Orgulho da nossa gente,
Espelho policromático
Reflexo magnificente
Do perfil aristocrático
Deste Povo nobre e digno,
Que, do trabalho faz lema,
Um brasão e até um signo,
Imagem de marca, emblema;
Povo de carácter forte,
Que abraça o sol com a mão
Pois cá o norte é mais forte,
E... até o vento suão
O vento norte respeita...
Este, é mais puro e mais são,
Aquele, gera suspeita...
Vila do Conde-menina
Com olhar de maresia,
Que toda a gente fascina
Pois transmite arte e magia...
Tua boca é uma bonina,
Que o sol quente acaricia,
Tens olhar puro que ensina
A amar tudo o que é poesia...
E nos faz acreditar
Que o futuro que aí vem
A todos vai cativar
Pois na sua essência tem
A riqueza colectiva,
E a justiça social
Como matriz efectiva,
E a meta mais racional!
rouxinol de Bernardim

terça-feira, maio 01, 2007

CANIDELO: um bastião!



É de humilde condição
Mas de carácter bem nobre,
Esta terra é bastião,
Quem cá vem, logo descobre!
Bastião de fidalguia,
Bastião de liberdade,
Bastião-democracia
Bastião-fraternidade!
Em cada rosto há franqueza,
Todos iguais, na verdade,
E podem ter a certeza,
Não mora aqui... a ruindade...
Gente de bem, cordial,
Com quem se pode falar,
Gente simples, informal,
Até no próprio trajar...
Aqui o sol brilha mais,
Dá calor e claridade...
É sol de Maio!, clamais...
É sol da fraternidade!
rouxinol de Bernardim

MOSTEIRÓ: a juventude é quem mais ordena!

A juventude é a mola propulsora do futuro!


Mosteiró alicerçado
Em egrégias criaturas,
Mantém nível elevado
E voa lá nas alturas!

As terras só são pequenas
Com homens sem horizontes...
Grandeza não é apenas
Muitas campinas... ou montes...

As terras são suas gentes,
Seu valor e educação,
As pessoas são sementes
Também em germinação!...

Mosteiró tem juventude,
Tem alfobre cultural...
O futuro é uma atitude
Predisposição mental.

Há que dar/ter confiança,
Nesta nova geração,
Com ela há que ter esperança
Ela é futuro em acção!...

Olhar a posteridade,
Com prospectiva visão
É criar na mocidade,
O gosto na educação!

rouxinol de Bernardim